Aguarde! Carregando...
X

Mercado do Cacau

RESUMO DA SEMANA 16 A 20/10/17

Em semana agitada o mercado se eleva e continua mantendo as perspectivas positivas de tendência. NY Dez, oscilou de uma ponta a outra entre us$2,022 e us$2,160 / ton, variando em torno de 6,82%. 

Uma tempestade de compras especulativas, provocaram um expressivo rally de cobertura, quebrando firme a resistência NY Dez de us$2,100 / ton.  Como citado na semana anterior, a elevação dos níveis verificados nas bolsas, está diretamente relacionada com crescimento da demanda mundial de derivados de cacau. Comenta-se também, que fatos ligados a política adotada para aquisição de amêndoas nos países africanos, refletem em especulação da possibilidade de queda dos números para a produção da safra 17/18, comparados com a anterior.  

Movimentos bruscos de mercado, conforme observados no período, possibilitam ver as bolsas nas próximas sessões, operar em viés contrário, até mesmo em proporções semelhantes aos níveis de elevação, registrada durante a semana. Lembrando que esses eventos naturalmente acontecem para realização de posições. Caso venham a ocorrer, muito provavelmente não deverá interferir na tendência gradual altista.

Aconteceu durante o período, a assinatura de um acordo de intenções firmado entre os governos de Gana e Costa do Marfim. O programa tem como principal objetivo, fortalecer a cadeia produtiva dos dois países, através de um programa de colaboração técnica de campo, visando proporcionar melhores ganhos para os produtores. Segundo informações, os dirigentes alegam que participam com apenas 5,75% de toda margem global do setor. Outra proposta relevante, seria de fomentar a construção de grandes armazéns para estocagem de amêndoas, objetivando a tentativa de regular o fluxo de saídas. Analistas comentam que raríssimos acordos relacionados ao cacau, pactuados entre duas nações, conseguiram ser cumpridos com êxito.    

Devido a especulação do nome do novo comandante do Federal Reserve, banco central norte-americano, abriu-se a possibilidade de influenciar a política de juros dos EUA. Por esta razão, investidores aceleraram as compras e provocaram a valorização do dólar frente ao real no final da semana. A moeda americana chegou a ser cotada na máxima a R$3,1936 o que corroborou para melhorar na formação dos preços internos, pagos ao produtor.  

Nas principais zonas produtoras brasileiras, o clima permanece perfazendo um rigoroso protocolo para a formação de um cenário positivo da próxima safra. No sul baiano, chuvas abundantes foram registradas durante a semana. Ainda na Bahia, algumas regiões já começam a apresentar sinais de floração para o temporão 18/19.  

Quantos as entradas, observa-se atualmente que houve uma razoável melhora, porém sem o fluxo continuo de uma safra normal. Ainda muito aquém das necessidades dos processadores locais, provoca uma disputa por amêndoas, cada dia mais acirrada. Segundo técnicos em prospecção de safra, o ritmo atual de recebimentos deverá se manter por mais algumas semanas, podendo cair abruptamente nos meados de dezembro.

Os preços pagos durante a semana ao produtor  na Bahia estiveram entre R$105,00 / R$110,00 por arroba.

Informações: mercadodocacau.com

Deixe seu Comentário em RESUMO DA SEMANA 16 A 20/10/17:

Sua participação é muito importante para nós!

Análises de Mercado Relacionadas

  • 17 NOV

Dentro de um novo momento, NY reage as compras especulativas e perde força para manter níveis acima de us$2,200/ ton.  Ainda...

  • 10 NOV

Crescem as perspectivas de elevação do consumo mundial de cacau e as bolsas alcançaram níveis altistas, acima do esperado. Apresentando...

  • 05 NOV

Nem mesmo os fundamentos firmes da elevação do consumo mundial e os alertas de prováveis problemas na safra africana, conseguiram...

  • 27 OUT

Confirmando a linha de tendência as bolsas operaram em alta volatilidade, mantendo-se próximas dos níveis registrados na semana anterior. O...

Últimas Atualizações

Últimas Atualizações

Destaques

Destaques