Aguarde! Carregando...
X

Mercado do Cacau

RESUMO DA SEMANA 18 A 22/09/17

Apesar da intensa movimentação especulativa, NY processou a tendência acima do patamar de US$2,000/ton.

Embora operando com base nos movimentos anteriores, pouco a pouco as bolsas iniciam um plano ascendente projetado por analistas desde agosto. Notícias de vendas de grandes volumes da safra 2018 de Gana e Costa do Marfim não influenciaram os compradores, que operaram com grosso calibre durante a semana. Segundo analistas, uma conjunção de fatores poderá fazer a diferença para potencializar as compras e elevar os índices das bolsas. Destaca-se como uma dessas razões a pouca aplicação de fertilizantes nas lavouras dos países africanos. Em tempos de crise os governos não conseguiram financiar insumos para os produtores, consequentemente deverão surgir reflexos na produção da safra que se inicia em outubro próximo. Outro fato relevante apresenta-se na elevação do consumo de chocolate e derivados de cacau na Europa e Ásia. Estima-se que esses mercados deverão continuar a escalada de crescimento nos próximos trimestres.

Embora NY tenha encerrado a semana ao nível dez17 de US$1,983/ton, nos próximos dias poderemos ver com firmeza o mercado retomar a tendência de elevação. Importante ressaltar que não cessarão os movimentos de acima e abaixo, mas aos poucos firmando-se na primeira opção.

Ainda em cena uma forte expectativa por ver a safra “Temporã” entrar. Todos impacientes contam os dias e horas e nada. Todos, nos referimos a toda cadeia produtiva do cacau brasileiro. Seguramente a queda significativa da safra atual traz junto com ela uma das piores crises já registradas no setor. A produção Brasil 2017 deverá representar apenas 35% do que foi produzido na safra 2015. O mesmo cenário se repete com consistência no Pará. Segundo agrônomos experientes, esse foi o ano de recomposição das perdas fisiológicas das árvores, causadas pela seca. Ainda segundo eles, as plantas atualmente apresentam-se com o aspecto vegetativo bastante saudável e preparadas para executar o ciclo normal de produção. Diante dessas afirmações, nos resta cruzar os dedos para que continuemos a conviver com as excelentes condições climáticas atuais.  “Ainda tem muita agua para passar debaixo da ponte”, disse um produtor durante a semana, afirmando que ainda temos muito o que esperar, porém as previsões meteorológicas são positivas nesse sentido. Caso isso aconteça, poderemos ter grande safra em 2018.    

Representantes da classe produtora da Bahia, estiveram reunidos em Brasília buscando ainda prorrogar os prazos vigentes nos bancos para renegociação das dívidas rurais. O fato relevante nessa renegociação está na coincidência de ver a impotência financeira do produtor em não poder sequer se beneficiar dos descontos aplicados. Que o governo se sensibilize em ampliar os prazos, pelo menos até que os fazendeiros possam colher uma safra ao ponto de trazer ao produtor condições monetárias capazes de renegociar.

Bahia: Preços pagos ao produtor na semana, oscilaram entre R$98,00 / R$105,00

Que venha uma nova semana cheia de excelentes notícias.

Informações: mercadodocacau.com

Deixe seu Comentário em RESUMO DA SEMANA 18 A 22/09/17:

Sua participação é muito importante para nós!

Análises de Mercado Relacionadas

  • 14 OUT

Consumo mundial cresce e sustenta tendência de elevação nas bolsas. A semana foi marcada por movimentos que deixaram ainda mais...

  • 07 OUT

Mercado NY dez testa us$2,100 / ton e segue firme em tendência de elevação gradual. Gradativamente vem se confirmando o...

  • 29 SET

Apesar do alto nível de volatilidade as bolsas disparam, seguem a tendência de elevação e NY Dezembro rompeu us$2,050 /...

  • 15 SET

Mercado mostra consistência e avança para níveis positivos, podendo modificar a tendência nas próximas sessões. Uma intensa movimentação foi registrada durante...

Últimas Atualizações

Últimas Atualizações

Destaques

Destaques