Aguarde! Carregando...
X

Mercado do Cacau

RESUMO DA SEMANA DE 25 a 29/06/18

Movimentos especulativos permanecem e bolsas operam com indicies instáveis.

Mediante a ausência de noticias consistentes, seguem firmes os movimentos claros de compras e vendas de curto prazo nas bolsas de Londres e NY. Os investidores ávidos por ganhos rápidos operam centrados em notícias rasteiras que são transformadas em pontos divergentes para motivar as movimentações. Fatos como a guerra comercial entre Donald Trump e os países que contrariam os interesses americanos, também serviram de rumores pra fomentar as especulações.

A realidade mostra uma calmaria aparente, porém existam contestações firmes para uma safra mundial deficitária. As previsões da produção de Gana, segundo fontes ligadas aos órgãos oficiais deverão se apresentar 9,31% abaixo, comparada com safra anterior. O numero previsto perfaz o total de 795.510 tons contra 869.410 tons do período anterior.

Notícias protecionistas foram divulgadas na Costa do Marfim. Dessa vez o governo anunciou a elevação das moagens internas para um milhão de toneladas até 2022, obrigando as multinacionais processadoras a assinar um protocolo garantido à expansão da capacidade de produção das suas respectivas plantas de processamento de cacau.

Conforme relato de alguns analistas a demanda mundial por produtos de cacau se mantem em clima de estabilidade. Durante as próximas semanas teremos a divulgação das moagens realizadas no ultimo trimestre. Fontes seguras especulam que para esse período poderá ser apresentado um número global positivo, em pequenas proporções.

O câmbio elevado vem colaborando na manutenção dos níveis de preços ao produtor. A divulgação da possível queda no PIB americano poderá manter as taxas de juros elevadas nos EUA e continuar arrastando dólares dos países emergentes. Diante desse cenário poderemos ver o dólar valorizar ainda mais frente ao real. A semana fechou cotado em R$3,8773.

NY ice Julho oscilou entre Us $2,347 e Us $2,529 e encerrou a Us $2,508 / ton.

No Brasil as entradas nas indústrias processadoras de Ilhéus/Ba aceleraram ainda mais e ultrapassaram a casa dos 500 mil sacas em menos de 60 dias do temporão. Durante a semana o destaque ficou por conta das chegadas do Pará que cresceram consideravelmente. Mediante essa movimentação os compradores declinaram ainda mais nos diferenciais contra NY para formação de preços internos. Caso permanecer o quadro de entradas os prêmios poderão voltar aos parâmetros normais muito rapidamente.

O clima na Bahia permanece bastante favorável. Registros de chuvas abundantes, intercaladas com períodos ensolarados ajudam na formação da safra principal. Apesar do quadro positivo, técnicos em prospecção de safras apontaram poucos volumes de floração e bilração. Explicam que a elevada frutificação da safra temporã ainda em árvores impede a saída de novos frutos.

Na Bahia os preços pagos ao produtor em arrobas oscilaram entre R$157,00 e R$164,00

Deixe seu Comentário em RESUMO DA SEMANA DE 25 a 29/06/18:

Sua participação é muito importante para nós!

Análises de Mercado Relacionadas

  • 27 JUL

Cenário positivo de abastecimento faz desabar simultaneamente bolsas e diferenciais internos. Coincidentemente as entradas internas e nas outras origens ao...

  • 20 JUL

Apesar dos números surpreendentes nas moagens mercado permanece em incertezas. Os excelentes resultados das moagens mundiais não tiveram força para...

  • 13 JUL

Diferenciais internos despencam 180% em 45 dias e preços pagos ao produtor recuaram no Brasil. Ainda em estado de choque,...

Últimas Atualizações

Últimas Atualizações

Destaques

Destaques