Cacauicultores do Sul da Bahia reclamam dos resultados da safra temporã - Mercado do Cacau
Aguarde! Carregando...
X

Mercado do Cacau

Cacauicultores do Sul da Bahia reclamam dos resultados da safra temporã

Cacauicultores do Sul da Bahia reclamam dos resultados da safra temporã

Mesmo com uma safra temporã maior do que a safra principal e os preços altos, os cacauicultores do Sul da Bahia reclamam dos resultados. Duas pragas, a podridão parda e a vassoura-de-bruxa, prejudicaram a safra que poderia ser bem melhor. Os custos de produção também puxaram os lucros para baixo.

A colheita da safra temporã deve chegar a 78 mil toneladas, de acordo com a Ceplac. Isso é mais do que a previsão da safra principal, normalmente maior. "Na zona Norte nós tivemos uma temporã muito boa, uma das melhoras. Mas na zona Central e Sul tivemos tanto uma safra principal baixa como também uma temporã baixa. Nesse período de março, abril e início de junho, as condições estão desfavoráveis às plantas então ela deu prioridade à frutificação temporã", afirma Lindolfo Pereira Filho, técnico da Ceplac.

Uma fazenda que fica em Itacaré, no sul da Bahia, tem 40 hectares plantados com o cacau. Foram colhidas na safra temporã 600 arrobas de cacau e na principal a previsão é que sejam apenas 180 arrobas. A safra temporã de 2014 só não foi melhor porque o clima favoreceu a proliferação de duas doenças: a podridão parda e a vassoura-de-bruxa, causadas por fungos. José Carlos Maltez, o dono da fazenda, estima que perdeu aproximadamente 20% da safra temporã, pois não dá para aproveitar as amêndoas dos frutos doentes, e mesmo assim conseguiu produzir mais. "Nessa propriedade, por exemplo, nós conseguimos um equilíbrio de receita e despesa, mas não conseguimos passar do ponto de equilíbrio para gerar resultados financeiros", conta.

 

A arroba de cacau foi mais valorizada em 2014, sendo vendida a R$ 106. No ano anterior valia R$ 80. O preço anima, embora os custos de produção tenham subido por conta das doenças. E já tem gente fazendo planos para agregar ainda mais valor à produção. É o caso de Maltez, que quer produzir cacau fino para fabricar o próprio chocolate gourmet. "A gente já está no ponto de produzir industrialmente e comercialmente partidas maiores a partir de 200kg. Já temos marca na prateleira em Salvador, São Paulo, mas produzimos muito pouco ainda, apenas para sustentar as poucas prateleiras que nós conquistamos e não perder o mercado", finaliza. Fonte: Bahia Rural

Deixe seu comentário para Cacauicultores do Sul da Bahia reclamam dos resultados da safra temporã

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR ESTE POST! Deixe agora o Seu Comentário :)
Avalie Este Conteúdo: 1 2 3 4 5
[Aguarde, Buscando Dados!]
Notícias Relacionadas

Publicidade

Vídeos

Vídeos