Seagri discute ações de controle da praga que afeta fruticultura - Mercado do Cacau
Aguarde! Carregando...
X

Mercado do Cacau

Seagri discute ações de controle da praga que afeta fruticultura

Seagri discute ações de controle da praga que afeta fruticultura

Com objetivo de discutir ações de controle para a maior praga que afeta a fruticultura, a mosca-das-frutas, no Vale do São Francisco, região compreendida na divisa Bahia e Pernambuco, estiveram reunidos, representando o governador do Estado, Rui Costa, a secretária da Agricultura da Bahia, médica veterinária Fernanda Mendonça, o diretor presidente da Morcamed Brasil, Jair Fernandes e o diretor executivo da Abrasfrutas e assessor técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), José Eduardo Brandão. O presidente da Moscamed apresentou um plano emergencial como proposta de controle das mosca-das-frutas, com os resultados positivos já obtidos na região do Vale do São Francisco que pertence a Pernambuco, onde esse projeto já está sendo implementado.

Essa praga é responsável por prejuízos da ordem de U$ 120 milhões por ano no Brasil, chegando a U$ 2 bilhões no mundo. A infestação atinge todas as culturas implantadas no Vale do São Francisco, com exceção do coco. “Essa é uma demanda que deve ser priorizada e trabalhada com máxima urgência”, afirmou a secretária Fernanda Mendonça, ressaltando que “de forma transversal e participativa, seguindo a linha de pensamento do governo Rui Costa, a Secretaria da Agricultura da Bahia (Seagri), em parceria com a Moscamed Brasil, Adab e outros órgãos do governo do Estado, vai atuar no enfrentamento dos altos índices de infestação, para que não ocorra maior comprometimento da produção”. O diretor da Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Adab), Paulo Emílio Torres, reforça que “não adianta o agricultor investir em produção e tecnologia, se não investir na fitossanidade”. 

A região do Vale do São Francisco possui aproximadamente 45 mil hectares, dos quais 17 mil são cultivados por 2.800 agricultores familiares, produzindo em média 98% das frutas que são exportadas no país, com destaque para a manga, que abrange 90% da produção baiana que sai do Brasil. Outra cultura bastante explorada na região é a uva, com fabricação de vinhos jovens de qualidade, a 8 graus de latitude, uma das atividades com maior potencial para a geração de emprego e renda. “As exportações estão aumentando em números e valores, e a expectativa é dobrar essa produção até 2020, para continuarmos trilhando esse caminho viemos buscar o apoio do governo do Estado no controle desta praga”, afirmou José Eduardo Brandão.

 

De acordo com o diretor presidente da Moscamed Brasil, “a proposta é apoiar os produtores de base familiar, que possuem até seis hectares, com o monitoramento e o controle da praga, reduzindo os índices de infestação e a pressão sobre as áreas de produção do Vale do São Francisco”. Ele destaca ainda que “o tratamento biológico que está sendo utilizado no controle da infestação não representa risco à saúde do agricultor ao aplicar o produto”. A Moscamed Brasil é uma Organização Social (OS), sem fins lucrativos, que tem a missão de aportar soluções do ponto de vista tecnológico para a agricultura e saúde pública, notadamente direcionadas ao controle da mosca-das-frutas, e do vetor da dengue, o mosquito aedes aegypti. Fonte: Ascom Seagri

Deixe seu comentário para Seagri discute ações de controle da praga que afeta fruticultura

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR ESTE POST! Deixe agora o Seu Comentário :)
Avalie Este Conteúdo: 1 2 3 4 5
[Aguarde, Buscando Dados!]
Notícias Relacionadas

Publicidade

Vídeos

Vídeos